Oque você faria se, mesmo precisando de dinheiro, encontrasse uma carteira com quase R$ 1.200 no meio da rua? No caso do entregador Joseph Derick Rodrigues Alves, 30 anos, a resposta pareceu bastante simples. Mesmo ganhando pouco no seu dia a dia, ele não pensou duas vezes e tratou de procurar o dono nas redes sociais para devolver o dinheiro. 

Derik encontrou a carteira no início da noite da ultima sexta-feira (12) quando dava inicio ao seu trabalho de entregador. Em uma de suas saídas para fazer entrega, se deparou com a carteira no chão e com um grande volume de dinheiro no seu interior. No entanto, mesmo com as dificuldades, ele conta que nem cogitou a ideia de ficar com o valor. 

“Na hora, eu tinha certeza que o dinheiro não era meu. Alguém trabalhou por aquele dinheiro e não fui eu. Não é justo”, conta Derik. Segundo ele, além do susto, a primeira reação diante do achado foi procurar o dono. “Busquei em volta, perguntei para o pessoal que estava por perto se alguém conhecia o dono da carteira e ninguém o conhecia. Foi então que ao chegar a casa, junto com minha esposa Bruna decidimos procurar a pessoa no Facebook”, explica. 

A única pista do dono era o nome que estava na a carteira de motorista e em alguns cartões. Para ele, foi uma questão de honra encontrar o senhor Marciano Farias Penteado, dono da carteira. 

Segundo Derik, encontrar o dono da carteira não foi tão complicado assim. Após uma breve procura na rede social, foi localizado o senhor Marciano que é morador do Cerrado das Cinzas, e deixaram uma mensagem para ele entrar em contato que a carteira e o dinheiro estavam em boas mãos. 

O entregador conta que o senhor estava bem nervoso na hora do encontro, que aconteceu no local de trabalho de Derik, na noite de sábado (13). Marciano parecia ainda incrédulo com o que estava acontecendo. “Quando eu fui devolver, ele parecia não acreditar ainda. Estava muito nervoso”, revela. 

Para Derik, a boa ação foi a melhor recompensa que poderia ter recebido. “Nem se eu tivesse gasto esse dinheiro ia valer tanto a pena quanto ver a alegria no rosto do senhor Marciano. Mas, ao mesmo tempo, fico triste em ver que algo assim se tornou tão raro”, finalizou.
Reações:

Postar um comentário

 
Top