O Paraná reduziu em 20% o número de mortes em decorrência de acidentes de trânsito, entre 2011 e 2015. Os dados são do Ministério da Saúde, disponibilizados pelo DataSUS, e consideram os óbitos em hospitais, domicílios e vias. O resultado paranaense foi melhor que a média nacional. No Brasil, a queda no mesmo período foi de 11% - com 39.543 mortes no último ano da análise. 

Em 2011, o Paraná registrou 3.387 vítimas fatais por causa dos acidentes. Em 2015, foram 2.694. “É uma redução importante, que nos aponta os caminhos a seguir”, afirma o diretor-geral do DetranPR, Marcos Traad. “Nestes cinco anos, as leis ficaram mais rigorosas, investimos mais em educação para o trânsito e tivemos inciativas importantes que uniram Governo Federal, Estadual e municípios”, destaca. 

Segundo ele, entretanto, ainda não há o que comemorar. “Não existe um número aceitável de mortes no trânsito e devemos pensar que cada uma delas poderia ser evitada”, completa. 

Entre os Estados com maior frota de veículos, o Paraná só teve redução abaixo de São Paulo (-21% no período), Minas Gerais registrou queda de 15% e Rio de Janeiro 20%. 

DADOS - De acordo com o DataSUS, em 2015, a maioria das vítimas fatais foram passageiro ou condutor de automóveis e camionetes: foram 786 mortos. Os motociclistas aparecem em seguida, sendo 661 das vítimas fatais. Também chamam a atenção os números de mortes de pedestres (532), ciclistas (110) e passageiros ou condutores de veículos pesados, como caminhão e ônibus (137).

“Em seis anos, o Governo do Estado ampliou a retaguarda para o atendimento de urgência e emergência com o reforço do transporte aéreo e terrestre. Mas só com medidas de educação, prevenção e trabalho integrado vamos poder reduzir as mortes no trânsito” destacou o coordenador da Rede Paraná Urgência, Vinicius Filipak

CIDADES – Curitiba teve o maior número de mortos em decorrência de acidentes, em 2015, no Estado. A capital registrou 196 vítimas fatais. Londrina teve 167 mortes e em Maringá foram 97. Outras cidades com dados preocupantes foram Cascavel (95 mortes), Ponta Grossa (88), Campo Mourão (64), Umuarama (60), Foz do Iguaçu (58), Toledo (55), Guarapuava (54) e Arapongas (51). 

Apucarana, com 48 óbitos, Paranaguá (47), Francisco Beltrão (45) e São José dos Pinhais (42) também estão entre os municípios com mais ocorrências.

FERIDOS – O DataSUS apresenta também os números de vítimas não fatais e os valores gastos com internações. Entre 2011 e 2015, foram 51.379 feridos no Estado e o valor total gasto no período, com custos hospitalares no SUS, ultrapassou os R$ 76 milhões.
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top