Ministério da Infraestrutura altera sistema de concessão dos pedágios no Paraná para modelo de menor tarifa, diz Ratinho Junior

Estradas no Paraná; pedágio; rodovia — Foto: Reprodução/RPC

O Ministério da Infraestrutura aceitou mudar o modelo de concessão de 3.327 quilômetros de rodovias federais no Paraná, segundo anunciou o governador Ratinho Junior nesta sexta-feira (21). Com a alteração, a concessão dos novos contratos seguirá o modelo de menor tarifa livre.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, os técnicos do governo estadual e do Ministério devem começar a preparar o novo modelo a partir de segunda-feira (24).

| CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE |



Anteriormente, a concessão estava prevista para acontecer de forma híbrida, considerando o valor de pagamento da outorga e o desconto na tarifa, limitado a 17%.

Com o novo modelo, o leilão deve acontecer na Bolsa de Valores de São Paulo.

Ratinho Junior fez o anúncio na manhã desta sexta-feira (21) — Foto: Reprodução/Youtube

O Ministério da Infraestrutura informou que está trabalhando "na formatação do melhor modelo de concessão de rodovias, considerando todas as contribuições que vêm sendo realizadas e buscando atender às necessidades do Paraná".

Segundo o ministério, "é fundamental evitar os erros do passado e, para isso, o governo federal quer garantir contratos seguros, com regulação eficiente, assegurando o aporte de investimentos previstos de R$ 42 bilhões, para ampliar a capacidade das rodovias paranaenses e reduzir custos logísticos".

Pressão
Segundo o governador, o governo federal mudou o modelo atendendo a um pedido do governo estadual, do setor produtivo, da Assembleia Legislativa e da bancada paranaense no Congresso Nacional.

"O Ministério da Infraestrutura fez um modelo único para todo o Brasil. E nós tivemos que convencer o ministério que aquele modelo poderia ser muito bom para o Brasil, mas não era para o Paraná", afirmou Ratinho.

De acordo com o governador, o modelo da menor tarifa era essencial para "corrigir" a forma como as concessões atuais foram feitas.

"O pedágio é um capítulo muito ruim na história contemporânea do Paraná, muito questionado devido à modelagem. Das dez praças de pedágio mais caras do Brasil, seis estão no Paraná, além disso, sem obras de duplicação que eram importantes", disse.


Concessão
A nova concessão prevê R$ 42 bilhões em investimentos em contratos de 30 anos de duração. Estão previstos 1,8 mil km de duplicações.

Serão seis lotes concedidos:
Lote 1: trechos das rodovias BR-277, BR-373, BR-376, BR-476, PR-418, PR-423 e PR-427, com extensão total de 473,01 km;

Lote 2: trechos das rodovias BR-153, BR-277, BR-369, BR-373, PR-092, PR-151, PR-239, PR-407, PR-508 e PR-855, com extensão total de 575,53 km;

Lote 3: trechos das rodovias BR-369, BR-376, PR-090, PR-170, PR-323 e PR-445, com extensão total de 561,97 km;

Lote 4: trechos das rodovias BR-272, BR-369, BR-376, PR-182, PR-272, PR-317, PR-323, PR-444, PR-862, PR-897 e PR-986, com extensão total de 627,98 km;

Lote 5: trechos das rodovias BR-158, BR-163, BR-369, BR-467 e PR-317, com extensão total de 429,85 km;

Lote 6: trechos das rodovias BR-163, BR-277, R-158, PR-180, PR-182, PR-280 e PR-483, com extensão total de 659,33 km.

FONTE

Postar um comentário

0 Comentários

KELVE SUPERMERCADOS - MANIA DE VENDER BARATO



CONSTRÓI MATERIAIS E SERVIÇOS PARA CONSTRUÇÃO











ARAPOTI WEATHER