Como aproveitar a Páscoa com o pet – e sem chocolate!

Entre os alimentos tóxicos para cães e gatos, o chocolate é um dos maiores vilões


A Páscoa vem aí e nunca é demais lembrar que o chocolate não deve ser compartilhado com os animais de estimação. Não é fácil resistir aos olhares de súplica quando os pets apelam por uma guloseima, mas vale lembrar: a conduta do tutor é importante para o bem-estar do animal. E, no caso do chocolate, pode ser determinante para sua saúde.

Entre os alimentos tóxicos para os pets, o chocolate é um dos maiores vilões. “O fígado dos cães e gatos não metaboliza corretamente a substância teobromina, que está diretamente relacionada com a quantidade de cacau presente no chocolate. Quanto mais cacau, mais teobromina o produto contém e mais tóxico para os pets ele é”, explica Flavio Silva, mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de capacitação técnico-científica.

Ou seja, os chocolates mais escuros e amargos contêm maior percentual de cacau e, assim, são os mais tóxicos. No entanto, o chocolate ao leite e o chocolate branco também fazem mal e não devem ser oferecidos aos pets.

E não se engane: um pequeno pedaço do doce já é o suficiente para causar intoxicação. Os animais de pequeno porte podem ser ainda mais afetados, pois uma menor quantidade de chocolate poderá causar sintomas mais graves, devido ao baixo peso corporal.



Quais são os efeitos colaterais?

“Como a teobromina age intensamente no organismo, pode ocorrer aumento de contrações musculares, excitação nervosa, micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos e diarreia”, explica o médico-veterinário, lembrando que a gravidade do quadro varia de acordo com a quantidade ingerida.


Quais são os riscos para a saúde do animal?

Flavio esclarece que apesar dos casos letais serem mais raros, existe alta incidência de indisposições gastrointestinais, especialmente em animais pequenos e jovens, devido à quantidade de toxina em relação ao peso do pet. “Além do risco de intoxicação e do mal-estar, o chocolate pode acarretar outros males ao organismo do animal, como a obesidade e suas complicações”, alerta.


Prevenir é a melhor conduta

É importante ficar atento e não deixar os ovos de páscoa e bombons em locais acessíveis a cães e gatos. Eles podem se sentir atraídos pelo cheiro, pela embalagem e “roubar” sem que os donos percebam. Além disso, é fundamental orientar as crianças para que não dividam a guloseima com o animal de estimação.


Então, como garantir a alegria dos pets durante o feriado?
“Para agradar os pets, o recomendado é fornecer alimentos apropriados e nutricionalmente balanceados para eles”, orienta Flavio Silva. O médico-veterinário também lista algumas opções para incluir o animalzinho na comemoração:

• Brinque com o pet – O amigo de quatro patas também merece atenção e tem direito a brincadeiras. Vale investir em atividades para estimular o faro, a caça e a alimentação.

• Aposte nos petiscos – Já existem diversas opções saudáveis e nutritivas no mercado, perfeitas para momentos de recompensa, lazer, distração e mimo aos animais. Os cookies são uma escolha sempre certeira!

• Caça segura - Se a caça aos ovos de Páscoa é uma tradição na família, incluir os pets na diversão pode ser uma ótima ideia. É possível esconder cookies ou grãos de alimento para os cães e gatos e incentivá-los a procurar pela casa.

Postar um comentário

0 Comentários

KELVE SUPERMERCADOS - MANIA DE VENDER BARATO



CONSTRÓI MATERIAIS E SERVIÇOS PARA CONSTRUÇÃO











ARAPOTI WEATHER