IBGE reforça Paraná como destaque em produção de proteínas


O desempenho do Paraná em produção de proteínas no terceiro trimestre reforçam o Estado como um dos principais do Brasil neste setor. Levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que o Estado abateu 25,36 milhões de cabeças de frango a mais do que o mesmo período em 2018.

Cresceram também nos meses julho, agosto e setembro a produção de leite (+43,76 milhões de litros e de ovos (+9,45 milhões de dúzias). O Estado manteve a liderança no abate de frangos, com 32,5% da participação nacional, seguido por Santa Catarina (14,3%) e Rio Grande Sul (14%).


Em relação ao leite, se descolou um pouco mais do Rio Grande do Sul, com 14,3% da captação nacional contra 13,7%. Minas Gerais segue na liderança com 24,5%. O IBGE revelou, ainda, a condição do Paraná como segundo maior produtor de ovos do País, com participação de 9,3%, atrás apenas do Estado de São Paulo com 28,4%.

O secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, explica que a evolução dos números tem relação direta com a maior presença da China na compra de proteína animal do Paraná, especialmente por causa do surto de peste suína africana que atingiu o país oriental.

“Como o Paraná é o maior produtor brasileiro de carne, seja ela de porco, boi, frango ou peixe, as vendas tiveram um impacto muito considerável. Toda essa movimentação do setor é muito positiva”, afirmou.

EMPREGOS – Ortigara ressalta que a onda de crescimento traz com ela geração de empregos e desenvolvimento econômico em diversos pontos do Estado. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério da Economia, o Estado abriu 66.901 novas vagas até outubro. “Como o ambiente político no Paraná é muito bom, há uma retomada interessante no processo de crescimento”, disse o secretário.

INDÚSTRIA – Outro ponto destacado diz respeito à produção industrial de alimentos. Também de acordo com o IBGE, o Paraná registrou o maior crescimento do País no setor. Entre janeiro e outubro de 2019 a evolução foi de 8,9% na comparação com o mesmo período do ano passado. É o maior índice da série histórica do órgão de pesquisa nos primeiros dez meses do ano (2002-2019).

Para ele, o Estado tem conseguido fazer o processamento de quase todos os itens agrários. “Quase tudo que sai da roça, de uma maneira ou de outro, está sendo industrializado, com novas plantas se instalando no Paraná”, destacou.

De acordo com o IBGE, a produção industrial de alimentos envolve abate de carnes, fabricação de óleos, laticínios, moagem, beneficiamento de produtos, refino, torrefação de café e preservação de pescados.

NACIONAL – Em relação ao desempenho nacional, o instituto revelou que no 3º trimestre de 2019 foram abatidas 1,47 bilhão de cabeças de frangos. Esse resultado significou aumentos de 3,1% em relação ao mesmo período de 2018 e de 3,3% na comparação com o 2° trimestre de 2019.

No período, a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (Federal, Estadual ou Municipal) foi de 6,29 bilhões de litros, equivalente a um aumento de 0,6% em relação ao 3° trimestre de 2018, e a um incremento de 7,5% em comparação com o trimestre imediatamente anterior, com um acréscimo de 37,73 milhões de litros.

O levantamento mostrou também que foram produzidas 964,89 milhões de dúzias de ovos de galinha no 3º trimestre de 2019. Isso correspondeu a um aumento de 4,3% acima do apurado no 3º trimestre de 2018 e um acréscimo de 0,7% em relação à produção do trimestre imediatamente anterior.

Considerando a série histórica da pesquisa, iniciada em 1987, a produção foi recorde, superando o pico anterior obtido no 2° trimestre de 2019, quando foram produzidas 958,11 milhões de dúzias.

Postar um comentário

0 Comentários


KELVE SUPERMERCADOS - MANIA DE VENDER BARATO



CONSTRÓI MATERIAIS E SERVIÇOS PARA CONSTRUÇÃO












ARAPOTI WEATHER