Em mais uma investida na sua incansável luta contra a corrupção, Doutor José de Oliveira Junior pediu o bloqueio de R$ 721 mil de Vereadores, ex vereadores e servidores público de Mangueirinha, no sudoeste paranaense. Isso prova que o promotor que deixou saudades em Arapoti, trabalha arduamente em defesa do patrimônio público e não em questões pessoais.


O Juízo da Vara Cível de Mangueirinha, no Sudoeste paranaense, decretou a indisponibilidade de bens, no montante de R$ 721 mil, de 17 vereadores, ex-vereadores e servidores da Câmara Municipal que atuaram de 2009 a 2012. A decisão decorre de pedido do Ministério Público do Paraná, feito por meio da Promotoria de Justiça da comarca em ação civil pública por ato de improbidade administrativa referente ao recebimento indevido de diárias.

Dentre os investigados está o atual presidente da Câmara, que teve R$124 mil bloqueados pela Justiça. Na ação, o MPPR apresentou notas de empenho e liquidação e relatórios de auditoria que demonstram o pagamento e o recebimento indevido de diárias.

Conforme apurou a Promotoria, houve no período vários casos de pagamento de diárias de viagens não comprovadas ou com justificativas ausentes ou inválidas, bem como pagamentos sem existência do ato de concessão da diária, e mesmo diárias concedidas a vereadores presentes em sessão da Câmara ou durante o recesso parlamentar, entre outros.

Prefeito – Na segunda-feira, 24 de junho, o Prefeito de Mangueirinha teve R$ 228 mil reais bloqueados em outra ação civil pública do MPPR, que apura pagamento irregular de publicidade com verbas de destinação vinculada às áreas de saúde, educação e assistência social.

Com as duas ações, foram bloqueados em uma semana quase um milhão de reais de agentes públicos de Mangueirinha.

Informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
(41) 3250-4249
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top