"A febre é um alerta, não um mecanismo de defesa", diz o infectologista Leandro Machado.


Crianças, jovens, adultos, idosos. Todos já tiveram pelo menos um episódio de febre. Há quem diga que ela é um tipo de defesa. Outros, que é um mal necessário. Já há aqueles que têm medo da reação. Para esclarecer as dúvidas, o infectologista Leandro Machado explica o papel da febre no organismo. 

“Na verdade, a febre é um alerta, igual a dor. Ela te avisa que alguma coisa não está indo como deveria ir. A grande maioria das bactérias e de vírus têm uma temperatura ótima que eles gostam de ficar – 36,37 graus. O aumento dessa temperatura desnatura as proteínas das baterias ajudando no combate. Mas isso não significa que você deva deixar a pessoa com febre”.

A febre é a resposta fisiológica do nosso organismo que pode ser causada por diversos estímulos. Por exemplo, quando nosso sistema de defesa destrói alguma bactéria, algumas substâncias são liberadas no sangue: os chamados pirógenos. Eles enviam um alerta ao hipotálamo – nosso centro de controle de temperatura localizado no cérebro – que em resposta, aumenta a temperatura do corpo a fim de terminar de destruir os invasores. Acontece que, da mesma forma como a febre consegue desnaturar – ou seja “derreter” – vírus e bactérias, quando permanece por muito tempo, a febre pode prejudicar o nosso corpo – levando, por exemplo a danos no sistema nervoso central, como alerta o especialista. 

“A febre leva a um dano. Ela tem que ser enxergada como um alerta de que alguma coisa não está certa. Buscar atendimento médico quando você tiver febre para diagnosticar a causa e não entender ela como um mecanismo de defesa. Ela é um mecanismo de alerta. Ela tem um papel na defesa, mas ela é mais um mecanismo de alerta do que de defesa”. 

Os sintomas da febre devem ser combatidos logo no início. Cuidado: não tome nenhum medicamento sem indicação médica! Lembre-se de que a causa da febre precisa ser estudada e diagnosticada por profissionais capacitados. Em crianças e pessoas com o sistema imunológico comprometido por alguma doença precisam de cuidado redobrado. Saiba mais em: saude.gov.br

Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top