Desde 1996, o Brasil distribui gratuitamente os medicamentos utilizados no tratamento das pessoas que vivem com HIV


Os primeiros casos de aids foram registrados no Brasil na década de 1980. Há quase 40 anos, não havia tratamento. A sobrevida média de um paciente com aids era de aproximadamente cinco meses, atualmente o tratamento permite muito mais tempo de vida aos brasileiros que vivem com HIV.

Segundo dados do Ministério de Saúde, atualmente, 593 mil pessoas com HIV/aids estão em tratamento no país. 87% delas utilizaram o dolutegravir, medicamento de última geração e altamente eficaz para tratamento da infecção. O remédio está disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde, o SUS. O diretor do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde, Gerson Fernando Mendes Pereira, reforça o que tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão do vírus.

“O Brasil pode dizer que a gente tem o melhor tratamento recomendado no mundo e uma das drogas mais importante que é o ‘dolutegravir’. E essa droga, em aproximadamente três meses de tratamento regular, é claro, o paciente já tem uma carga viral indetectável. Então, hoje os pacientes podem viver muito bem tomando medicamento”, explica. 

Desde 1996, o Brasil distribui gratuitamente os medicamentos utilizados no tratamento das pessoas que vivem com HIV. O diretor do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Gerson Fernando Mendes Pereira, lembra que o preservativo é o método mais conhecido, acessível e eficaz para se prevenir da infecção pelo HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), como a sífilis, a gonorreia e também alguns tipos de hepatites.

“O preservativo é a forma mais simples, mais barata e mais fácil de você se prevenir. Vamos usar, eu acho que a gente tem que ter responsabilidade de usar (camisinha) e se prevenir nesse carnaval. E não só no carnaval, né? Eu acho que durante toda a vida da gente, porque a vida é muito breve a gente precisa de prevenir das doenças”, afirma. 

Então, não se descuide! A dica é simples para os foliões e foliãs: pare, pense e use camisinha. Em caso de dúvida, procure uma Unidade Básica de Saúde. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.
Reações:

Postar um comentário

 
Top