Uma reunião entre alguns moradores da área invadida, próximo à Vila Nova, deslocaram-se até a prefeitura para falar com o Secretário de Governo, Jeovane Varella. Eles queriam resolver a situação da água e da luz que segundo eles, a Sanepar e a Copel não podem instalar nada, se a pessoa não tiver um documento de posse do terreno ou, no mínimo, um documento emitido pela prefeitura, autorizando tais instalações. 

O secretário Jeovane disse que isso também não é possível, pois senão a administração municipal responderia na justiça pelo ato. E que, o mais certo seria que os moradores fossem até o Ministério Público e pedissem que o mesmo autorizasse a prefeitura a emitir o documento para a Sanepar e para a Copel autorizando a instalação de água e luz nas residências da área onde residem. 

Na verdade, este imbróglio acontece também nas casas invadidas na Vila Santo Antônio, onde os invasores têm dificuldade em colocar luz e água. No início do ano a Copel desligou todas as unidades com instalações clandestinas deixando os moradores sem energia elétrica.
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top