No mês em que celebramos 30 anos do Dia Mundial de Luta contra a Aids, marcamos a data também com a luta para derrubar algumas fake news, ou notícias falsas. Como toda epidemia que surge, a doença apavorou muita gente nos anos 1980, e fez com que circulassem mentiras e fofocas que duram até hoje. Para que não haja mais dúvidas, informação correta é fundamental. Por isso, convidamos o médico infectologista Werciley Júnior para esclarecer alguns mitos e verdades a respeito do assunto. Já para começar, é preciso deixar uma questão bem explicada. Algumas epidemias como a febre amarela tem como principal agente transmissor o mosquito. É verdade que o HIV também pode ser transmitido por insetos?

“Isso é mentira, porque o mosquito, ao picar, ele tem enzimas que vão digerir o sangue humano e com isso ele não vai transmitir o vírus HIV. Já se pensou que isso era possível, mas hoje já foi provado que em animais, principalmente mosquitos, não há sobrevivência.”

Ao longo desses 30 anos já conseguimos avançar bastante em pesquisas e tecnologias. Mas será que já chegamos ao ponto de fazer com que uma pessoa que tem HIV pare de transmitir o vírus? É verdade ou mentira que uma pessoa com carga viral indetectável pode fazer sexo e até ter filhos, sem transmitir o vírus?

“Isso é um fato hoje. Pesquisas recentes demonstram que pessoas que fazem o tratamento adequado, e que já tenham um período de pelo menos seis meses a um ano de controle de carga viral, ou seja, não tem vírus em circulação, a transmissibilidade, nesse caso, praticamente é nula.”

Ainda assim, com toda a informação, é importante reforçar que a melhor forma de proteção é a prevenção. Portanto, use sempre camisinha, conheça as outras formas de prevenção combinada, disponíveis no SUS, e proteja-se. Trinta anos do Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Uma bandeira de histórias e conquistas. Saiba mais em aids.gov.br. Ministério da Saúde, Governo Federal.
Reações:

Postar um comentário

 
Top