A Tribuna do Povo esteve na tarde de hoje entrevistando o Promotor de Justiça local, Eduardo Henrique Germano, acerca do inquérito civil instaurado para investigar atos de improbidade administrativa que teriam causado dano ao erário, bem como afrontado os princípios que devem nortear a administração pública.
Os investigados são o prefeito municipal José Slobodá e a primeira dama Cléa Sloboda, bem como o Secretário de Industria e Comércio Pedro Leocádio Delgado e a Secretária de Planejamento Nara Giselle Bueno, bem como seu convivente Carlos Alberto Ornellas Filho.


Ocorre que de 7 a 11 de novembro aconteceu em Gramado o Festuris Gramado - Feira Internacional de Turismo e os acima citados marcaram presença no evento.
São vários os questionamentos que o MP fez às citadas autoridades públicas e aguarda resposta que deverá vir amanhã, ocasião em que o promotor decidirá sobre a instauração da Ação Civil de Improbidade ou não.
A conclusão do inquérito deve trazer algumas respostas pertinentes:

Há tramitando na Paraná Turismo algum projeto de turismo do município que justificasse tal investimento, além de ser este um evento internacional?

Por quais motivos o município pagou as despesas do Sr. Carlos Ornellas, presidente do COMTUR e proprietário da Adventurous Friends e ainda convivente da Secretaria de Planejamento?;

Ou ainda, o motivo pelo qual, além de todos os secretários terem pego diária, foi empenhado R$ 7.839,31 para a EcológicaTur Agencia de Viagens. Ou seja, a prefeitura restituiu os valores em dobro?

Outro ponto é esclarecer por qual motivo o secretário Pedro Delgado, além da diária paga pela prefeitura e das diárias a título de verba indenizatória ainda recebeu mais R$ 4 mil dos cofres públicos a título de verba de pronto pagamento.

Perguntado sobre possível afastamento dos agentes públicos, Dr Eduardo adiantou que numa possível instauração de ACP pedir-se-á liminarmente o afastamento dos secretários envolvidos, porém, sobre o prefeito informou que trata-se de decisão política e que neste caso, caberia a Câmara de Vereadores a instauração de uma CPI.

De posse do inquérito não pudemos deixar de observar algumas preferências gastronômicas como os capuccinos da primeira dama a R$ 9,00 cada, ou as cervejas do prefeito a R$ 25,00 a unidade, computados na nota fiscal constante dos autos.


Continuaremos acompanhando o caso.

Com informações e imagens do Tribuna do Povo de Jaguariaíva.
Reações:

Postar um comentário

 
Top