Em Arapoti, região dos Campos Gerais, o Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça da comarca, propôs duas denúncias criminais em face de nove pessoas por envolvimento em desvio de parte da produção do colégio agrícola do município. As ações são resultado da Operação Usurpador, deflagrada em abril deste ano pelo MPPR. O ex-diretor-geral da instituição na gestão 2015-2018 está entre os requeridos.

Conforme apurado pelo MPPR, valendo-se do cargo, no período em que esteve na chefia da instituição de ensino, o servidor coordenou esquema voltado a repassar parte da safra produzida no colégio em benefício de parentes – que também estão entre os requeridos –, além de outros servidores e empresários da região. Foi constatada pela Promotoria de Justiça o desvio de lavouras de soja, milho e toras de eucalipto, bem como ilegalidades em licitações para a compra de insumos agrícolas.


COLÉGIO AGRÍCOLA - FOTO: REPRODUÇÃO FACEBOOK

Conforme a ação penal, os denunciados incorreram em crimes diversos, como organização criminosa, peculato e fraude em licitação. Estima-se que foram desviados quase R$ 195 mil da instituição de ensino, que é mantida com recursos públicos. Além da condenação dos requeridos pelos crimes indicados, o MPPR busca da Justiça a imposição de reparação dos danos financeiros causados.

Confira abaixo a matéria divulgada anteriormente:

Informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação



Reações:

Postar um comentário

 
Top