Com foco nos cooperados do futuro, projeto propõe a discussão de temas estratégicos como gestão, liderança e administração

Estimular a sucessão familiar nas atividades dentro da cooperativa, fornecendo ferramentas de gestão, liderança e administração aos jovens cooperados e filhos de associados. Esse é o principal objetivo do programa Cooperados do Furuto, implantado neste ano na Capal Cooperativa Agroindustrial.


Os encontros do programa têm duração de cerca de oito horas, e estão previstos para acontecer mensalmente. A primeira turma foi formada em Arapoti, município-sede da Capal, e contou com cerca de 30 participantes de diversas cidades, com idades entre 16 e 25 anos. O encontro tratou da importância do protagonismo jovem dentro do sistema cooperativista, em especial para despertar o interesse pelo negócio familiar. “É preciso orientar os jovens sobre a alma do cooperativismo, para que possam efetivamente crescer junto com todos os outros que compõem essa cooperação, entendendo os valores do cooperativismo”, comenta o integrante da primeira turma, João Carlos da Silva, de 24 anos. O pai de João Carlos é cooperado da Capal há dois anos, o sítio da família fica em Carlópolis (PR) – onde produzem café. Com formação em Direito, o jovem considera – para o futuro – conciliar as duas atividades.

Para a coordenadora de Recursos Humanos (RH) da Capal, Eliane Andreani, os jovens são o futuro do cooperativismo, por isso é preciso que eles estejam cada vez mais próximos da cooperativa, que participem ativamente das atividades. “O programa propicia que eles tenham esse protagonismo, não apenas aprendendo temas relevantes para administrar a propriedade, mas também compartilhando suas experiências e visões”, explica Eliane.

Além da troca de experiências, os encontros promovem temas estratégicos, ligados à gestão da propriedade, tanto pelo lado financeiro, quanto humano. Os próximos temas que serão estudados pela turma são: poder do autoconhecimento e autogestão; comunicação assertiva e oratória; cenários, tendências e oportunidades no agronegócio; finanças da propriedade e pessoais; projetos sustentáveis; administração de conflitos e relacionamentos e liderança jovem cooperativista, bem como desafios da convivência familiar e na Cooperativa.
Reações:

Postar um comentário

 
Top