Por Paulo Henrique Gomes

25 de fevereiro de 2018. O jogo do PSG contra o Olympique de Marselha pelo campeonato francês fez com que muitos brasileiros ficassem apreensivos. Neymar, o principal jogador da seleção brasileira, fraturou o quinto metatarso do pé direito, às vésperas da Copa do Mundo. Mas o tempo passou, nosso camisa 10 se recuperou e já está pronto para vestir a amarelinha na campanha em busca do hexa. Na Copa, o Brasil está no grupo E, ao lado de Suíça, Costa Rica e Sérvia.

O Brasil se classificou para a Copa com mais de um ano de antecedência. No entanto, engana-se quem pensa que desde o início das Eliminatórias o desempenho brasileiro passava confiança. Tudo mudou após Tite assumir o comando da seleção. Antes dele, sob a batuta de Dunga, o Brasil havia disputado seis partidas, com duas vitórias, três empates e uma derrota. Sexta colocação no geral, posição que deixava a seleção brasileira fora de uma edição da Copa do Mundo pela primeira vez.

E eu vou te mostrar com números porque Tite pode ser considerado o "salvador da pátria". Com seus critérios baseados em "merecimento" e "o campo fala", o treinador desenvolveu um padrão tático eficiente na seleção desde a primeira partida como comandante. Tite estreou diante do Equador, no dia 1º de setembro de 2016. Triunfo por 3 a 0 que encerrou um jejum de mais 30 anos sem vencer na casa do adversário.

De lá pra cá, foram mais dez vitórias, dois empates e nenhuma derrota. A classificação veio no duelo contra o Paraguai, na 14ª rodada. O placar foi o mesmo da estreia da era Tite: 3 a 0 para o Brasil. Nesses 12 jogos, o ataque brasileiro balançou as redes 30 vezes, enquanto a defesa foi vazada em apenas três oportunidades.O Brasil encerrou a participação nas Eliminatórias com 41 pontos em 18 partidas. Foram 12 vitórias, cinco empates, uma derrota, 41 gols marcados e 11 gols sofridos. Pontuação inédita e que entra para história da seleção no torneio como a maior desde que o atual sistema de disputa foi implantado, em 1998. Até então, o recorde era de 34 pontos, número que se repetiu nas edições de 2006 e 2010.

Com Pelé como destaque em 1958, 1962 e 1970, Romário em 1994, e Ronaldo em 2002, cabe à Neymar ser o protagonista em 2018. Apesar de contar com excelentes jogadores ao seu lado, como Philippe Coutinho, William e Gabriel Jesus, o jogador mais caro da história é a principal liderança técnica da equipe. O craque revelado no Santos já mostrou ao mundo do que é capaz.


Seus dribles desconcertantes, assistências geniais e vasto repertório de gols faz com que ele seja "o cara" da equipe. Aos 26 anos, o camisa 10 chegou a marca de 55 gols com a camisa do Brasil, número que o igualou a Romário, quarto maior artilheiro da história da seleção brasileira. Neymar ainda está atrás de Zico, que possui 66 gols pela seleção, Ronaldo Fenômeno, com 67 gols e, Pelé, que lidera a lista com 95 gols.A boa fase do Brasil faz com que a seleção seja credenciada como uma das favoritas ao título. A boa fase do goleiro Alisson, que é destaque em seu time e na seleção, transmite confiança aos brasileiros. A solidez defensiva e a segurança dos zagueiros, além da qualidade do lateral Marcelo, deixa os brasileiros menos preocupados. Casemiro, o "cão mordedor" do Brasil, chega à seleção após ótimas atuações pelo Real Madrid.

Paulinho, em grande fase pelo Barcelona, surpreende as defesas adversárias com suas aparições no ataque. A habilidade de Willian e Philippe Coutinho, titulares absolutos em suas equipes, é um diferencial para a velocidade no ataque e auxílio na recomposição defensiva. Gabriel Jesus é a esperança brasileira como centroavante. O atleta, que na última Copa pintava as ruas de seu bairro, nesta edição do Mundial tem o carinho dos torcedores brasileiros. Todos liderados por Neymar, o maestro da equipe.O Brasil estreia na Copa contra a Suíça, em Rostov, neste domingo, às três da tarde, horário de Brasília. Na segunda rodada, a adversária será a Costa Rica, no dia 22, em São Petersburgo, às nove da manhã. A seleção fecha a primeira fase contra a Sérvia, no dia 27, em Spartak, às três da tarde, horário de Brasília.

Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top