POLICIAIS CIVIS DA 13ª SUBDIVISÃO DE PONTA GROSSA, DELEGACIAS DE JAGUARIAÍVA E SENGÉS DEFLAGRARAM NESTA SEGUNDA-FEIRA (18) A OPERAÇÃO LUAU.

Policiais civis da 13ª Subdivisão de Ponta Grossa, Delegacias de Jaguariaíva e Sengés deflagraram nesta segunda-feira (18) a Operação Luau visando cumprir, em Ponta Grossa, um mandado de busca e apreensão e outro de prisão preventiva em face de um agente de cadeia (40) que supostamente facilitou a fuga de 04 (quatro) presos da recém inaugurada Cadeia Pública de Sengés, localizada nos Campos Gerais.
Conforme a Polícia Civil o suspeito está sendo investigado pelos crimes de facilitação à fuga qualificado (reclusão de um a quatro anos), denunciação caluniosa (dois a oito anos), falso testemunho (dois a quatro anos) e fraude processual em processo criminal (seis meses a quatro anos).
Segundo as investigações, que se iniciaram momentos após a fuga, as alegações de arrebatamento não foram corroboradas pelas análises realizadas no próprio local, vez que a Cadeia Pública conta com duplo sistema de travas e quatro portas de aço para acesso externo, sendo que nenhum indício apontava para suas violações.
Ainda durante a análise da cena do crime a Equipe de Investigação da Delegacia de Sengés não vislumbrou a existência de marcas de entrada no muro da Cadeia Pública, bem como reportou à Autoridade Policial que as lesões do agente se concentravam em suas mãos, havendo farta notícia de que esmurrou as portas após a fuga após combinar com os detentos a versão que seria divulgada.
O agente, ao relatar a ocorrência, reportou que quatro indivíduos ingressaram armados com faca e arma de fogo. Após o ingresso na Cadeia teria sido rendido e entrado em luta corporal com os invasores.
Realizadas as oitivas iniciais constatou-se que o agente teria combinado durante a tarde a fuga dos presos, retirando um deles para conversar reservadamente pelo menos duas vezes. Presos relataram que horas antes o agente contou aos demais a chegada de um indivíduo perigoso de Curitiba.
Durante a noite, contrariando orientação firmada em reunião dias antes, o agente procedeu movimentação indevida do preso proveniente de Curitiba, retirando-o da cela de triagem para o convívio com os demais mediante acordo que retornaria a condição anterior antes do amanhecer para evitar que fosse verificada tal irregularidade.
Conforme constante do Inquérito Policial os presos contaram que o agente queria realizar um luau na Cadeia durante a noite, tendo inclusive sugerido às mulheres para que juntassem aos demais, o que foi por elas recusado.
No momento da fuga o agente abriu as trancas de segurança, as portas para acesso ao andar superior e logo em seguida retirou todas as trancas inferiores, soltando todos os presos de uma vez só. Assim, houve simulação de um confronto com o agente, o qual foi trancado no interior de uma cela, da onde saiu somente após a ajuda de outros detentos.
Informações dão conta que o agente saiu da cela carregando um saco preto que está sendo investigado por suspeita de vantagem indevida. Além disso não foi encontrado um celular que teria sido apreendido pelo agente, indicando que pudesse conter informações da fuga.

Informações Delegacia de Polícia Civil - Sengés

Postar um comentário

0 Comentários

KELVE SUPERMERCADOS - MANIA DE VENDER BARATO



CONSTRÓI MATERIAIS E SERVIÇOS PARA CONSTRUÇÃO











ARAPOTI WEATHER