FOTO: ARQUIVO VOZ DO POVO
TEXTO: INFORME POLICIAL
com informações do TCE/PR
O prefeito de Arapoti Braz Rizzi e o presidente da Comissão de Licitação do município, Idineu Antônio da Silva, receberam duas multas do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR). O valor individual é de R$ 725,48, totalizando a sanção, para cada um, em R$ 1.450,96. As razões foram irregularidades na Tomada de Preços nº 5/2013, realizada para a contratação da prestação de serviços de limpeza pública por R$ 271.999,98, no período de seis meses.

O Tribunal aplicou as sanções por julgar procedente a representação da formulada por Sebastião Marchini, que apontou a existência de irregularidades na tomada de contas. O representante alegou que os índices contábeis exigidos eram excessivos, superiores aos usualmente utilizados, restringindo o número de participantes na licitação; e que foi estabelecido prazo diferenciado para a entrega de propostas entre licitantes cadastrados ou não.

Defesa
Em sua defesa, os responsáveis alegaram que os índices de liquidez corrente e geral maiores ou iguais a 2 e de endividamento menor que 0,5 objetivaram a garantia de cumprimento do contrato; e que o artigo 31 da Lei nº 8.666/93 (Lei de Licitações e Contratos) confere subjetividade para a escolha desses índices. Também afirmaram que os prazos diferenciados para a entrega de documentação pelos licitantes teve o objetivo de não tumultuar os trabalhos da administração.

A empresa MTX Construtora Ltda. ME, que participou da licitação, ressaltou que o procedimento observou a legislação aplicável, que foram estabelecidos critérios com o intuito de garantir o cumprimento do contrato e que a distinção dos prazos de entrega visou à garantia de isonomia e competitividade da tomada de preços.

Instrução Técnica
A Coordenadoria de Fiscalização Municipal (Cofim) do TCE-PR, responsável pela instrução do processo, ressaltou que o Artigo 31 da Lei de Licitações e Contratos dispõe que a estipulação dos índices contábeis deve ser objetiva e justificada; e que o estabelecimento de prazo diverso para a entrega de documentos por licitantes não cadastrados violou as disposições dos artigos 3º e 22, parágrafo 2º, dessa mesma lei.

A Cofim, então, opinou pela procedência da representação, pois não houve justificativa para a exigência de índices acima do praticado pelo mercado. O Ministério Público de Contas (MPC) concordou com o posicionamento da unidade técnica.

Decisão
O relator do processo, conselheiro Artagão de Mattos Leão, afirmou que assiste razão à Cofim e ao MPC, pois não constaram na licitação as justificativas, embasadas em critérios técnicos, para a exigência dos índices contábeis excessivos.

O relator ressaltou que os prazos diferenciados de entrega de propostas feriu o princípio da isonomia, ao dar tratamento diferenciado entre as empresas credenciadas e as não credenciadas.

Em seu voto, ele recomendou que o município instrua os próximos procedimentos licitatórios com as justificativas que amparam os índices contábeis exigidos.

O processo foi julgado pelo Pleno do TCE-PR na sessão de 27 de abril. Na reunião, os conselheiros acompanharam o voto do relator por unanimidade e aplicaram ao prefeito e ao servidor municipal a multa prevista no Artigo 87, Inciso III, da Lei Complementar n° 113/2005 – a Lei Orgânica do Tribunal.

Os prazos para recurso dos interessados passaram a contar a partir do dia seguinte à publicação do acórdão nº 1837/17, na edição nº 1588 do Diário Eletrônico do TCE-PR (DETC) de 9 de maio.
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top