A operação Pane Seca, que identificou e prendeu integrantes de duas quadrilhas suspeitas de fraude na venda e no abastecimento de combustível, será o ponto de partida para o inquérito policial conduzido pela Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon) da Polícia Civil do Paraná. 

A ação deflagrada no sábado (25) pelo Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep) prendeu seis pessoas integrantes de dois grupos criminosos que fraudavam a quantidade de combustível que saia das bombas, resultando em prejuízo aos motoristas e ganhos para as quadrilhas. Outras seis pessoas são consideradas foragidas. 

“A Delcon vai dar continuidade à investigação, que foi muito bem conduzida pelo Dipe. Está comprovada a fraude e a Delcon, que é especializada em crimes contra a economia e proteção ao consumidor, vai aprofundar a ação desta quadrilha”, resumiu o secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita. 

“Agora, o momento exige uma atuação mais forte da polícia judiciária. A Delcon vai avaliar o material apreendido, como funcionavam as placas que fraudavam o abastecimento, e encaminhá-las para perícia, realizar interrogatórios, cruzar informações, ou seja, dar continuidade ao que já foi apurado pelo Diep nesta operação”, completou o secretário. 

O inquérito na Delcon ficará sob a responsabilidade do delegado titular Guilherme Rangel e vai tramitar de forma paralela à investigação já em curso da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que apura a morte do presidente da Associação Brasileira de Combate a Fraudes de Combustíveis, Fabrizzio Machado da Silva, assassinado na quinta-feira (23). “São duas investigações paralelas que podem se encontrar ao longo do trabalho policial. A elucidação da morte do fiscal é uma prioridade das forças de segurança do Paraná”, disse Mesquita.
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top