O Brasil esta passando uma terrível crise financeira, uma das maiores da história, o trabalhador brasileiro vive em plena miséria, sem assistência à saúde, sem segurança pública, sem emprego e muitas vezes necessitando de coisas básicas, como “comida”. Aqueles que têm uma geladeira em casa e consegue pagar a conta de luz por causa do aumento na taxa de iluminação pública, ao abrir a porta vai encontrar a geladeira literalmente vazia. Todos sabem que a falta de emprego assola cada vez mais as famílias de Arapoti e o desespero só aumenta a cada dia que passa.

Quais as consequências disso?
São várias, mas a mais preocupante é a dificuldade de quitar as dívidas com os órgãos públicos, asfalto e IPTU, por exemplo. O imposto predial, vencido há 5 anos ou mais, a prefeitura manda para o poder Judiciário (fórum), as chamadas “execuções judiciais” que transformam a vida do trabalhador em um verdadeiro inferno. Pois além do desemprego e a falta de quase tudo em sua casa, recebe a triste notícia de que precisa quitar a dívida com a prefeitura ou seu imóvel pode ir a leilão.

A prefeitura cumpre leis, e é obrigada a mandar para execução e evitar que o prefeito seja penalizado por renuncia de receita. Mas por outro lado os responsáveis pela execução não se importam nem um pouco em ver a situação do devedor. Seria necessário um mapeamento social, através de visitas das assistentes sociais ás residências, para tentar entender o porquê de as dividas não terem sido pagas no tempo certo.

Em seguida realizar um estudo dos impactos financeiros que esta cobrança vai causar a família devedora e tentar ajudar aquele trabalhador que sempre pagou os impostos em dia e hoje com a crise e a falta de emprego não consegue mais pagar. Se ficarmos meia hora na prefeitura em frente ao setor de tributação veremos situações extremamente complicadas para ambos os lados. 

Tem aquele espertinho que esta devendo e não quer pagar mesmo e fica arrumando confusão com as atendentes. Tem aqueles que realmente assumem ter esquecido e estão dispostos a pagar e o mais triste é ver aquelas pessoas mais humildes que não tem a mínima condição, até querem pagar, mas sabem que este dinheiro vai fazer falta no mês para a alimentação, medicamentos e outras necessidades básicas. As ações a serem pagas no fórum são caras e tem que ser pago a vista. Teve uma situação em que a divida na prefeitura com juros é de R$ 1.000.00 e as taxas do cartório R$ 600,00 a vista; se a pessoa ganha o salario mínimo, ou se nem esta empregada e vive de bicos vai ter condições de pagar?

Será que não tem ninguém que possa orientar as famílias devedoras, muitas vezes a pessoa comprou o imóvel e nem sabia da divida e o asfalto a ser pago está cheio de buracos (E tem que pagar Mesmo). Outras pessoas até se enquadram e poderiam estar isentos do IPTU, mas não sabem disso e ninguém fala nada. Será que não tem como se livrar das pesadas taxas cartorárias? Será que ninguém pode ajudar? 

O reflexo disso são as dividas que fazem muitas pessoas sair da prefeitura em prantos, pois não conseguem resolver a situação. E sabem que não vão pagar, pois de onde vão tirar o dinheiro? Emprestar e se complicar mais ainda? Se estivesse sobrando emprego em Arapoti, mas na atual situação do nosso município é uma judiação o que esta acontecendo, pois ninguém quer perder o imóvel que lutou tanto para conseguir.
Reações:

Postar um comentário

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do VOZ DO POVO. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O VOZ DO POVO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

 
Top