O valor do salário mínimo passou de R$ 880,00 para R$937,00 e começa a valer a partir do dia 1º de janeiro de 2017. De acordo com o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, o reajuste significa um aumento de 38 bilhões e 600 milhões da massa salarial em 2017.

Esse valor representa 0,62% do Produto Interno Bruto, o PIB, e segundo o governo, vai ter efeitos positivos na retomada do consumo e do crescimento econômico ao longo do ano.
Diferentemente do que pensa o membro do Conselho Regional de Economia, Newton Marques, que acredita que este valor é inapropriado para este momento de recessão.

“Quando a economia está crescendo e você repassa este reajuste ela é absorvida, mas quando tem um reajuste real para uma economia em recessão ou em desaceleração existe uma dificuldade muito grande por parte do empresariado para repassar isto para o preço final. E isso causa o quê? Causa desemprego, subemprego, cria distorções dentro da economia.”

Antes de anunciar o novo valor do salário mínimo, o Congresso Nacional havia aprovado o Orçamento Geral da União para 2017 estabelecendo o salário mínimo para R$945,80. Mas, agora, no anúncio oficial, Michel Temer estipulou um valor menor.

A justificativa, de acordo com o governo, está no Índice Nacional de Preços ao Consumidor, pois a estimativa para a inflação pelo INPC em 2016, usada no cálculo do reajuste, ficou em 6,74%, ou seja, menor do que a previsão de 7,5% estimada em outubro.

Atualmente, para calcular o reajuste do salário mínimo, o governo soma a variação do INPC do ano anterior ao resultado do PIB de dois anos antes. A fórmula aplicada não permite que haja uma variação negativa no salário mínimo.
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top