FONTE: TEXTO E FOTOS - MASSA NEWS

Um adolescente de 16 anos morreu, na tarde desta segunda-feira (24), dentro da Escola Estadual Santa Felicidade, em Curitiba. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ele foi vítima de um “objeto cortante”.

Ainda não foram divulgados detalhes sobre a morte do garoto nem se ele estuda na instituição. A página do Facebook da escola, localizada no bairro Santa Felicidade, indica que ela está ocupada.
Atualização

Os socorristas que atenderam a ocorrência chegaram ao local em poucos minutos. Eles encontraram uma jovem tentando reanimar a vítima, que não resistiu aos ferimentos. Fotos tiradas dentro da escola mostram muito sangue dentro de uma sala e o corpo do jovem caído em um corredor, junto a outra grande poça. Além disso, uma faca suja de sangue foi encontrada próximo ao corpo.

Um adolescente de 16 anos morreu, na tarde desta segunda-feira (24), dentro da Escola Estadual Santa Felicidade, em Curitiba. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ele foi vítima de um “objeto cortante”.

Ainda não foram divulgados detalhes sobre a morte do garoto nem se ele estuda na instituição. A página do Facebook da escola, localizada no bairro Santa Felicidade, indica que ela está ocupada.
Atualização

Os socorristas que atenderam a ocorrência chegaram ao local em poucos minutos. Eles encontraram uma jovem tentando reanimar a vítima, que não resistiu aos ferimentos. Fotos tiradas dentro da escola mostram muito sangue dentro de uma sala e o corpo do jovem caído em um corredor, junto a outra grande poça. Além disso, uma faca suja de sangue foi encontrada próximo ao corpo.

Uma vizinha da escola contou que ouviu bastante gritaria dentro e em seguida uma correria dos alunos. Ela disse que até então a ocupação era pacífica, mas os portões estavam abertos e muita gente conseguia entrar e sair. “Foi assustador”, comentou. Testemunhas disseram que o jovem teria se envolvido em uma briga.

O titular da delegacia de Homicídios, Fábio Amaro, já está no local. Advogados do movimento estudantil também estão no local e criticam o fato de não terem a entrada na escola autorizada. De acordo com eles, esta é uma violação ao direito dos adolescentes, que vão conversar com a polícia sem o suporte de um advogado.
Ocupa Paraná

Em nota preliminar divulgada nas redes sociais, o movimento Ocupa Paraná informou que ainda “não há nenhuma informação concreta sobre a motivação dessa morte e também nenhuma informação repassada aos mais de 10 advogados do movimento que estão proibidos de entrar no local para dar suporte aos outros estudantes da ocupação que estão lá dentro com a polícia civil”.

Logo após a publicação da nota pelo movimento, um advogado e um casal de pais de estudantes foram autorizados pela polícia a entrar na escola.
Reações:

Postar um comentário

" Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do VOZ DO POVO. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O VOZ DO POVO poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

 
Top