Com fluxo de veículos mais intenso, Órgão traz informações sobre atitudes que podem contribuir para uma viagem segura

O mês de julho é tempo de férias escolares, período que muitas famílias pegam a estrada para visitar amigos e familiares. Com isso, é certo o crescimento do movimento nas rodovias federais que cortam o Brasil. Com o fluxo de veículos mais intenso, é necessário redobrar os cuidados, por isso, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) orienta sobre as atitudes que contribuem para evitar acidentes de trânsito.




A PRF está atenta à mistura bebida e direção. Todas as viaturas estão equipadas com etilômetros, também conhecidos como bafômetro, para coibir essa prática. Além da embriaguez ao volante, a ultrapassagem forçada ou proibida é causa de muitos acidentes graves nas rodovias federais. Juntamente ao excesso de velocidade, são os principais alvos da fiscalização da PRF.

Para os viajantes com muita bagagem, atenção com a amarração da carga para que não exceda as dimensões do veículo. E os que farão uso da carretinha, a preocupação deve ser com a iluminação, para que a sinalização não fique comprometida durante a viagem.

A PRF também faz um alerta aos pais que pegarão a estrada com crianças e bebês. O condutor deve ficar atento ao dispositivo de segurança adequado para cada idade da criança. Bebês de até um ano devem ser transportados no banco traseiro, acomodados no bebê conforto. Crianças de um a quatro anos devem ser transportadas na cadeirinha e aquelas entre quatro e sete anos devem usar o assento de elevação.

Novidade – É importante salientar aos motoristas que dia 08 de julho entra em vigor a Lei 13.290, que torna obrigatório o uso de farol baixo durante o dia. A medida será válida para rodovias federais e estaduais, incluindo as que passam por trechos urbanos. O descumprimento será considerado infração média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).


Confira as dicas da PRF para uma viagem segura:

1. Programe sua viagem – Não deixe para sair de casa de última hora. Assim, você evita levar consigo uma carga de estresse que diminuirá a concentração na hora de dirigir. Por isso, programe-se com antecedência razoável.

2. Faça do trecho entre sua casa e o destino, a primeira atração da viagem – A pressa de chegar tem causado mortes nas estradas. Uma, duas ou três horas não fazem diferença em uma viagem de feriado, mas um acidente pode não apenas estragar o feriado como deixar sequelas para o resto da vida.

3. Verifique as condições do seu veículo – Faça a revisão dos itens mais importantes do seu veículo, aliás, é dentro dele que você levará seu maior patrimônio: família e amigos. Verifique se os pneus estão com boa calibragem e se não estão carecas; se os cintos de segurança estão em condições de uso; se a iluminação do veículo está em perfeitas condições; se o motor não vai prejudicar seu passeio. Não saia de casa sem pneu de socorro, macaco, triângulo e extintor. Não deixe para perceber a importância desses equipamentos quando estiver longe de um ponto de apoio.

4. Na estrada, respeite a sinalização – Aqueles sinais foram colocados ali após estudos técnico feitos por setores especializados e servem para orientá-lo sobre a melhor forma de conduzir o veículo naquele trecho. Por isso, respeite os limites de velocidade, as proibições de ultrapassagem, as preferências e semáforos. Nos trechos urbanos dos municípios ou próximos a povoados, reduza a velocidade. Sendo regiões de maior aglomeração de pessoas, a possibilidade de uma criança, ciclista, motociclista, ou mesmo outro carro, cruzarem inesperadamente a frente do seu veículo aumenta.

Reduza a velocidade antes das curvas. Deixar para frear dentro da curva pode ser mais perigoso, pois você não estará mais com o veículo em uma pista reta e haverá efeito da força centrífuga, que diminui a estabilidade. Na chuva, reduza a velocidade e acenda os faróis, pois a visibilidade fica prejudicada e a pista molhada fica mais escorregadia, com diminuição da aderência do pneu ao asfalto. Como os animais geralmente andam em números elevados, não confie que, se um passou, não virá outro. Grande parte dos atropelamentos de animais acontece porque algum entrou na pista repentinamente, sem chances para que o motorista desviasse. O ideal é que, identificado o perigo, reduza a velocidade imediatamente.

5. Álcool e direção não combinam – Ao ingerir álcool, você diminui os reflexos e os sentidos, podendo gerar acidentes. O ideal é escolher uma pessoa do grupo para ser o motorista.

Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top