O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná, DER, utiliza uma técnica diferente para a reconstrução do aterro na rodovia PR-092, em Wenceslau Braz, nos Campos Gerais. Para reerguer o aterro, que desmoronou com as fortes chuvas do início do ano, estão sendo feitas camadas da parede da encosta com cestas do tipo gabião, que são travadas na terra. A técnica agiliza o processo de reconstrução, além de reaproveitar parte do material que despencou do aterro. De acordo com o diretor-geral do DER Paraná, Nelson Leal Junior, o aterro tem mais de 30 metros de altura.

"O aterro tem mais de 30 metros de altura e agora estamos começando de baixo fazendo toda a recomposição do aterro, atirantamento da cortina de concreto e depois fazer a recomposição da pista existente, ai nos tiramos o trafego desse desvio e passamos para a pista existente que é a pista definitiva; que é onde ja existia, onde passava a pista da PR-092".

As equipes trabalham no quilômetro 251 e, por isso, os motoristas devem trafegar com cuidado, mesmo estando o local sinalizado. Do lado esquerdo da rodovia, sentido Ponta Grossa a Wenceslau Braz, está em construção o muro de contenção para a recomposição do aterro e do asfalto. As equipes utilizam a tecnologia terra-mexe para a construção deste muro. Segundo Nelson Leal Junior, a solução adotada vai aumentar a plataforma do aterro em mais 15 metros do lado esquerdo da estrada. Isso permitirá que a rodovia possa ser duplicada no futuro

"Estamos fazendo essa recomposição do aterro com muito cuidado para que o problema seja solucionado de forma definitiva; A solução adotada vai aumentar a plataforma do aterro em mais 15 metros do lado esquerdo da estrada. Isso permitirá que a rodovia possa ser duplicada no futuro"

Do lado direito da rodovia, sentindo Ponta Grossa a Wenceslau Braz, começaram as obras de contenção e drenagem das águas pluviais dos bairros, que caíam na rodovia. Neste ponto será feito um muro de gabião de formato parabólico para conter a erosão ao lado da rodovia. Além disso, as equipes trabalham na construção de um bueiro com escada dissipadora de energia. A drenagem envolve um bueiro duplo tubular de concreto, com 1 metro e 20 de diâmetro e 100 metros de extensão, que vai ficar perpendicular à rodovia. A previsão é que a obra seja concluída no segundo semestre deste ano. Depois que todo o aterro estiver recomposto será feito novamente o pavimento da rodovia, que terá o mesmo traçado original. (Repórter: Amanda Laynes)
Reações:

Postar um comentário

 
Top