O cuidado com a segurança dos idosos, assim como de qualquer outra pessoa, merece a devida atenção por parte de todos. Segurança Pública é um dever do Estado, mas também uma responsabilidade para todos os cidadãos, em especial, para os próprios idosos.

Sob este prisma, o 1º Batalhão de Polícia Militar faz um alerta à população dos Campos Gerais, especialmente o público da “melhor idade”, quanto à importância da adoção de algumas medidas simples e que não exigem gastos, mas que aumentam a segurança dos idosos, eventualmente mais vulneráveis às ações delituosas.

Nas ruas, momento de maior vulnerabilidade, é importante não carregar grandes quantias em dinheiro, jóias ou qualquer outro objeto de valor elevado e, se necessário transportá-los, procure andar acompanhado, evitando portar estes objetos no bolso traseiro ou em bolsas. Use compartimentos internos das vestes.

Esteja sempre atento ao que acontece ao seu redor e recuse a ajuda de estranhos que se propõem a carregar seus pertences, ou que oferecem qualquer outro tipo de ajuda, especialmente em bancos, no setor de auto-atendimento. Nestes locais, procure sempre o apoio de um funcionário devidamente identificado.

Em casa, lembre-se de trancar portas e janelas quando for ausentar-se, mantendo as portas fechadas, mesmo se permanecer no imóvel. Nunca abra uma porta sem ter certeza de quem está do outro lado, e guarde seu dinheiro em lugar seguro e de difícil acesso, evitando manter grandes quantias em seu domicílio.

Desconfie sempre que algum estranho lhe propuser a compra de produtos ou quaisquer outros serviços, especialmente quando esta transação envolver dinheiro ou informações pessoais, documentos, endereços, números de cartões de crédito, senhas, etc.

Os criminosos, criativos e ousados, tem se utilizado de alternativas diversas para enganar suas vítimas. Dentre as situações já conhecidas destacam-se:

- Falsos vendedores oferecendo produtos de origem ilícita, ou com valor muito acima do valor de mercado, ludibriando astuciosamente suas vítimas e induzindo-as ao erro;

- Falso sequestro, quando infratores se aproveitam da inexperiência e, consequentemente, do desespero de pessoas que imaginam ter seus familiares em poder de sequestradores para arrancar dinheiro de suas vítimas, utilizando frases fortes e ameaçando de morte o suposto refém, delito comumente anunciado por meio telefônico;

- Falsos funcionários de empresas de tv a cabo, energia, água ou telefone, indicando a necessidade de uma suposta manutenção na rede de fornecimento, ou modernização do sistema, criando oportunidades para assaltar suas vítimas em suas próprias casas, ou obterem informações pessoais, visando a prática de outros crimes;

- Falsos operadores de telemarketing que ligam para uma vítima em potencial oferecendo vantagens, informando sobre sorteios, promoções, recebimento de prêmios, etc. Vantagens econômicas e lucro fácil tendem a tirar a racionalidade de muitas pessoas, tornando-as vítimas de mal intencionados;

- Golpe do bilhete premiado, quando o delinquente aborda sua vítima, afirmando ter um bilhete de loteria premiado e propõe a troca deste bilhete por qualquer quantia em dinheiro que ela tenha consigo, ou ainda, explorando a ganância e o interesse de lucro fácil das pessoas, oferecendo oportunidades únicas ou recompensas por objetos ou valores encontrados pela vítima, como no chamado “golpe do paco”.

Estas são orientações simples, e que envolvem apenas mudanças de atitude, mas que reduzem ou até eliminam as oportunidades para os infratores. É preciso ficar atento!

Verdadeiros “teatros criminosos” são montados, algumas vezes com a participação de mais de um infrator, a fim de ludibriar pessoas. Para evitar estas situações é importante afastar-se rapidamente dos suspeitos e, mesmo em situações de ameaça, o melhor a fazer é sempre buscar ajuda e orientação policial para resolver o problema, evitando tornar-se refém de falsários.
Reações:

Postar um comentário

 
Top