A Polícia Civil realiza a segunda fase da “Operação Cangaço” desde a madrugada desta quinta-feira (24) para combater uma quadrilha especializada em explodir e roubar caixas eletrônicos em sete cidades do Paraná. Foram cumpridos 30 mandados judiciais, sendo sete de prisão preventiva e 23 de busca e apreensão.

Três pessoas foram presas durante a operação – quatro pessoas seguem foragidas. Segundo a polícia, dois dos três pessoas participavam efetivamente das explosões nos bancos. Os mandados estão sendo cumpridos em cidades como Londrina, Curitiba, Ponta Grossa, Ortigueira e Telêmaco Borba e Imbaú.

Os crimes investigados são associação criminosa, associação para o tráfico, tentativa de homicídio, roubo, receptação, posse ilegal de arma e tráfico de drogas. Os presos serão levados para a delegacia de Londrina, no norte do estado.



Esconderijo

Enquanto ocorriam as diligências, policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) receberam uma denúncia afirmando que o esconderijo das armas utilizadas nos crimes e ponto de encontro da quadrilha era em uma oficina localizada em Telêmaco Borba. Ao chegar no local o dono da oficina, Jeferson Cleverson Pereira, 35 anos, fugiu pelo telhado.

Durante a vistoria na oficina foi apreendida uma pistola 9mm e uma calibre 12. Quatro suspeitos que trabalhavam no local foram encaminhados para a delegacia e, logo após, foram liberados. A polícia já solicitou o mandado de prisão de Pereira e continua as investigações para prender o suspeito.

Mais de 170 explosões em 2015

Um levantamento da Secretaria da Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR) mostrou que 172 casos de explosões a caixas eletrônicos foram registrados em todo o Paraná em 2015. Ao todo, 130 criminosos foram presos.

Embora o índice ainda seja considerado alto, o levantamento aponta redução de 16% em relação a 2014, quando foram registrados 204 ataques aos equipamentos eletrônicos.
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top