O Governo do Paraná anunciou nesta quarta-feira (23) a construção de 1.520 casas populares, em 21 municípios do Estado. O governador Beto Richa e o presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Abelardo Lupion, assinaram os contratos de prestação de serviço para a construção das moradias. O investimento é estimado em R$ 101 milhões.

Os empreendimentos habitacionais serão construídos em Boa Esperança do Iguaçu (14), Capitão Leônidas Marques (72), Iguatú (41), Inajá (86), Itaipulândia (40), Itapejara d’Oeste (30), Jardim Alegre (75), Kaloré (81), Missal (138), Nova Aliança do Ivaí (46), Nova Esperança (270), Nova Londrina (44), Prudentópolis (97), Santa Helena (22), Santa Inês (27), Santa Isabel do Ivaí (25), Santa Izabel do Oeste (51), Santo Antônio do Sudoeste (121), Siqueira Campos (193), Tamboara (28) e Verê (19). 

“Com mais essas casas o Paraná avança para reduzir o déficit habitacional no Estado. O investimento nessa área é muito importante para garantir dignidades às famílias paranaenses”, afirmou o governador. Em fevereiro foram assinados contratos para construção de 517 casas em 11 municípios. A previsão é construir só neste ano 12 mil novas unidades. 

Os projetos são realizados em parceria com os municípios, Governo Federal e construtoras licitadas, com a utilização de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). “Com o apoio dos parceiros, estamos fazendo uma revolução habitacional no Paraná. Temos a melhor parceria do Brasil”, disse Richa. 

Em cinco anos, mais de 105 mil famílias paranaenses são atendidas com casas próprias - entregues, em construção ou já asseguradas. O número envolve, também, a regularização fundiária. “É um número expressivo que mostra nosso compromisso com a habitação”, afirmou. 

Além das casas urbanas, Richa destacou a construção, em cinco anos, de 14 mil moradias para famílias de agricultores. Ele também lembrou que a Cohapar atende com projetos habitacionais aos 399 municípios paranaenses. 

MAIS 12 MIL – De acordo com o presidente da Cohapar, mais de 12 mil casas serão construídas no Paraná em 2016, somando investimentos de R$ 900 milhões, provenientes do FGTS. “É uma nova fase da habitação no Paraná, com apoio das prefeituras”, disse Lupion. 

Além dos projetos do FGTS, a área habitacional do Paraná conta também com recursos do tesouro estadual, pelo Fundo de Combate à Pobreza. Serão R$ 400 milhões anuais geridos pela Cohapar e Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social para investir em projetos de interesse social e realocação de famílias residentes em áreas de risco. 

“Vamos atender as famílias que não têm como crescer sem o apoio do poder público”, afirma. “Além disso, nos próximos três anos, o Governo do Estado fará um grande programa de regularização fundiária. A previsão é regularizar 40 mil terrenos, dando segurança às famílias proprietárias”, finaliza Lupion. 

VIABILIZAÇÃO - A assinatura dos termos de prestação de serviços com os municípios e construtoras marca a conclusão dos trabalhos da Cohapar - elaboração dos projetos executivos, loteamento de áreas e obras de infraestrutura para a construção dos imóveis, liberação de pendências técnicas e licenças ambientais. O governo estadual também participa com os benefícios previstos pelo programa Morar Bem Paraná, que incluem a instalação dos sistemas de energia, água e esgoto dos residenciais. Com isso, o custo final das moradias é reduzido, o que diminui o financiamento a ser pago pelas famílias beneficiadas. 

Agora, cabe às empresas vencedoras do processo licitatório a obtenção da aprovação da Caixa Econômica Federal, agente financeiro dos projetos, para a comercialização dos imóveis e início efetivo das obras. Os lotes ficaram divididos entre as empresas Tallento, Implantec, Martins MA, Exact, LB Fernandes, Village, Marla de Marchi e Construtora Rosa. 

PRESENÇAS - Participaram da solenidade o presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano; o deputado federal Toninho Wancher e os deputados estaduais Pedro Lupion, Stephanes Junior, Luiz Cláudio Romanelli, Wilmar Reichenbach, Missionário Arruda, Maria Victória, Cristina Silvestri, Tiago Amaral, Guto Silva, André Bueno e Elio Rusch. 

PREFEITOS DESTACAM A IMPORTÂNCIA DA MORADIA POPULAR PARA POPULAÇÃO 

Com cerca de 50 mil habitantes, sendo metade na área urbana, Prudentópolis será atendida com a construção de 97 casas populares na Vila Abril. “Com essas novas unidades, feitas graças a boa parceria que temos com o governo estadual, vamos conseguir reduzir o grande déficit habitacional que temos na cidade. Moradia de qualidade é fundamental para o desenvolvimento da nossa população”, disse o prefeito Luiz Klosowski. 

O mesmo pensa o prefeito de Siqueira Campos, Fabiano Lopes Bueno. O município do Norte Pioneiro receberá 193 casas. “Será uma grande obra que, além de gerar centenas de empregos e aquecer a economia, beneficiará as famílias mais carentes da cidade que não tem casa própria. Estamos felizes porque estamos atendendo uma das grandes necessidades da nossa população”, afirmou Bueno. 

Neuza Pessuti Francisconi, prefeita de Jardim Alegre, município que terá mais 75 novas casas populares, destacou que a construção das novas unidades era um sonho da população. “Essas pessoas estavam aguardando há anos. Casa própria representa dignidade e a concretização de um sonho”, afirmou. Ela agradeceu o apoio do governo estadual para a obra. “Sem a parceria com o Estado não seria possível”, disse.
Reações:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

 
Top