Aconteceu na noite desta quinta-feira (10) a Audiência Publica para abordar a TAXA DE ILUMINAÇÃO PUBLICA; onde o prefeito enviou para a Câmara Municipal o projeto de lei que alteraria a faixa de consumidores isentos do pagamento da referida taxa.


Hoje os consumidores que gastam até 100 kWh que corresponde a 3.817 consumidores (relógios) não estão pagando a iluminação publica; no projeto do prefeito é alterada a faixa de isenção de 100 para 50 kWh e que gasta mais que 50 kWh começariam a pagar essa taxa a partir do ano que vem (2.017) e mesmo assim segundo informações da prefeitura teria 1.121 consumidores isentos.



Durante a explicação dos motivos que levaram o prefeito a enviar o projeto, o Senhor João Carlos disse que esta havendo uma defasagem dos valores arrecadado na ordem dos R$ 70 mil mensais (Média) e os valores a serem pagos em torno de R$ 100 mil mensais.


Já o Marcelo disse que a causa da defasagem dos valores se deve ao aumento da energia elétrica e com isso as pessoas começaram a economizar e varias famílias entraram na faixa de isenção (120 kWh) deixando de pagar a taxa de iluminação publica.


O Presidente da casa Vereador Wesley Carneiro Ulrich o Lelo que estava conduzindo a audiência abriu espaço para as pessoas que estavam no plenário falar.


A Verinha da Vila Romana disse que é preciso tomar muito cuidado, pois muitas vezes essa taxa vai tirar o alimento da boca de muitas famílias que lutam no dia a dia para poder ter uma vida digna e outras estão até desempregadas, economizam luz e agora vem esta taxa. Que se faça um estudo e vejam se não existem outros meios de resolver esta situação sem castigar a população que já vem sofrendo com a falta de emprego.

Na sequencia o José adão questionou o Marcelo sobre a questão da campanha que foi feita para se economizar energia elétrica, e a população atendeu; agora no meio do campeonato querem mudar as regras do jogo. Quem economizou será punido com essa taxa; outra questão levantada é o uso de energia da iluminação publica pelos carros de lanche e em eventos que não são públicos e mesmo assim usam iluminação publica. Hoje existem transformadores para serem usados em veículos, e que transformam a carga da Bateria (12 Volts) para 110 ou 220 volts não havendo a necessidade de usar a iluminação publica.

Para encerrar o presidente abriu espaço para os vereadores falar.

O João Maria (Chipanzé) disse que esta taxa vai prejudicar a classe que mais necessita e se mostrou contrario ao projeto e praticamente já deu seu voto.

Outro Vereador que falou e falou bonito foi o Nelson Marcolino Aguiar (Pepe) que disse estar cansado de ver impostos serem empurrado goela abaixo da população; assim como os pedágios que somos obrigados a pagar queira ou não queira, agora mais essa taxa sendo imposta a população mais carente e também praticamente já deixou claro que é contra.

As ultimas palavras ficou por conta do Lelo que disse nãoo concordar como projeto, pois entende que vai atingir somente as pessoas menos favorecidas, pessoas que na verdade moram nas vilas e bairros mais distantes do centro; que na maioria das vezes não tem nem a iluminação publica e quando queima uma lâmpada é uma eternidade para ser trocada e que não concorda com o projeto.

Agora a população precisa acompanhar a votação e ver qual o vereador que vai a favor deste famigerado projeto; provavelmente na próxima segunda.







Reações:

Postar um comentário

 
Top