A situação não é nova e sempre existiu, mas o que não da para entender é que mesmo com a lei “Maria da Penha” e todas as campanhas que são feitas na TV, Radio ou nas Redes Sociais a situação continua acontecendo e com frequência.

Neste final de semana não foi diferente e aconteceu varias agressão à mulher, talvez por o elevado consumo de bebida alcoólica; o problema é que os casos de agressões vêm acontecendo e algo precisa ser feito.


Vejam este caso que aconteceu na Rua Jose Milton Guimaraes, Vila Santo Antônio, onde a solicitante informou para a equipe policial que seu ex-convivente esteve no sábado em sua residência e começou a provocar o seu pai, e quando a filha tentou defender o pai, o ex a empurrou fazendo com que caísse não respeitando nem o bebe que estava em seu colo, logo após o individuo saiu do local. Já no domingo seu ex-convivente novamente voltou e muito exaltado começou a ofender a solicitante seus filhos e vizinhos, além de ameaçar a solicitante que ainda se encontra no período dieta pós-parto. A Policia Militar encaminhou a solicitante ate o Hospital Municipal para atendimento médico e após ambos ate a delegacia de policia civil para as demais providências.


Já em outro caso no inicio da noite por volta das 19H45MIN a Policia Militar deslocou ate o bairro Vila Nova, onde segundo informações estava acontecendo mais um caso de agressão à mulher; a solicitante informou que estava sendo agredida por seu convivente. No local a equipe policial abordou o individuo e o conduziu ambos ate a delegacia de policia civil. Já na delegacia o agressor se deu mal, pois em consulta ao sistema, constatou que o mesmo possuía um mandado de prisão em aberto. A mulher foi orientada e o individuo preso.



Vejam que a situação não se restringe a Arapoti, em Salto do Itararé Por volta das 20h43min segundo informações um indivíduo estava agredindo sua esposa. A Policia Militar foi até o local e entrou em contato com a vítima, que passou a relatar que seu amásio a agrediu com um tapa em seu rosto, ela também disse sofrer agressões quase diariamente e que seu convivente ao ver a aproximação da viatura policial, saiu correndo em direção ao rio itararé. A mulher foi devidamente orientada de seus direitos pelos policiais, e posteriormente fizeram patrulhamento pelas imediações com intuito de localizar o suspeito, porém o individuo não foi encontrado.

Reações:

Postar um comentário

 
Top