Dinheiro não cai do céu: o país precisa trabalhar


Por Alexandre Garcia
Os governadores estão se apressando em declarar estado de calamidade pública depois do pedido do presidente Jair Bolsonaro. A situação emergencial já está bem encaminhada para ser aprovada no Congresso.

Com isso, os recursos para combater o coronavírus serão ilimitados, a "regra de ouro" do Orçamento não precisará ser cumprida se essa medida for aprovada. Mas há o risco de se gastar demais.

Vai sair uma medida provisória permitindo a negociação entre patrão e empregados para flexibilizar algumas regras trabalhistas, como horários de trabalho, a não ida ao trabalho, o home office.

Tudo muito bom, mas há limite
O governo baixou a taxa Selic além do esperado — está em 3,75% ao ano. Tem gente pagando no cheque especial muito mais do que isso. A Petrobras diminuiu o valor do diesel e da gasolina nas refinarias, tomara que chegue na bomba.

O governo está anunciando a suspensão de alguns impostos e taxas, estendendo os prazos de vencimento para quem não puder pagar e dando linhas de crédito. Tudo isso é muito bom, mas deve ter um limite.

O dinheiro não cai do céu. O capital vem do trabalho e da produção e a verba do governo vem da arrecadação. Senão houver atividade econômica não há arrecadação, tudo para e não haverá recursos para a saúde.

A gente tem que tomar muito cuidado com as gerações que correm mais riscos, que são os mais idosos e os que sofrem de doenças crônicas. Mas também temos que pensar na nossa força de trabalho jovem.

Por exemplo, o agronegócio não precisa parar — nunca parou aliás — porque é preciso que eles produzam alimentos, já que sem comida as pessoas ficam mais fracas e não conseguem combater o vírus.

Fonte: Gazeta do Povo 

Postar um comentário

0 Comentários

KELVE SUPERMERCADOS - MANIA DE VENDER BARATO



CONSTRÓI MATERIAIS E SERVIÇOS PARA CONSTRUÇÃO











ARAPOTI WEATHER